A beleza da diversidade
Diversidade na sociedade, na empresa, na escola, na cultura e claro na Família! O termo diversidade diz respeito à variedade e convivência de ideias, características ou elementos diferentes entre si, em determinado assunto, situação ou ambiente. Hoje a diversidade cultural é fundamental e dela pode mesmo depender o sucesso de qualquer grupo ou organização.

Na sua 5ª edição, a Festa da Família organizada pela Paróquia da Sagrada Família do Entroncamento quis abordar este tema, já que é na família que tudo começa: irmãos, irmãs, pai, mãe, todos integram a mesma família e contudo, todos são tão diferentes....

Portugal é hoje, um lugar de encontro, onde vivem e se cruzam pessoas com grande diversidade de experiências e histórias. Comportamentos e formas de estar que parecem naturais e espontâneos são, por vezes, interpretados de maneiras muito diversas, causando estranheza, desconfiança e, por vezes hostilidade.

O conceito gráfico desta festa assentou num puzzle, porque cada peça é única e tem as suas próprias características, e embora sozinha não nos diga nada, em conjunto com outras peças, revelam a magia e a beleza de algo maior. Daí que durante os três dias e através de várias actividades e conferências se tenha dado valor à diversidade, de forma a construirmos um todo com base na aceitação e compreensão da diferença do outro.

Dizia o poeta António Gedeão:"Minha alma é de todo o mundo / Todo o mundo me pertence / Aqui me encontro e confronto / Com gente de todo o mundo / Que a todo o mundo pertence". E neste espírito acolhemos entre nós um grupo de vinte jovens brasileiros que se deslocaram propositadamente ao nosso país para a Festa da Família, um grupo coral ucraniano e um grupo de danças tradicionais filipinas, provando que o conceito de família é único e que a diversidade deve ser enriquecedora e não motivo de divisão.
Tal como no ano anterior, o evento decorreu nas instalações do Regimento da Manutenção Militar, onde se conseguiu um espaço agradável depois das muitas dificuldades causadas pela chuva dos dias anteriores, mas o Sol brilhou nestes dias fazendo jus ao logótipo da Festa que lembra o mesmo irradiando luz, calor e alegria.

No primeiro dia, dia 23 de Abril, a abertura do evento aconteceu às 18h 30m com a festa das crianças do Centro Social e Paroquial que quiseram integrar a mesma neste espaço de celebração da Família. Cerca de 400 famílias estiveram presentes e encheram a grande tenda para assistir à apresentação da "Arca de Valores". Sem valores não há respeito pela diversidade e sendo a escola de hoje cada vez mais um lugar de encontro de culturas, é importante promover o reconhecimento da diversidade como uma oportunidade e uma fonte de aprendizagem para todos.

A Expo-Vocações também abriu nesta tarde as portas dos seus 29 stands, sempre à disposição dos visitantes durante os três dias, e onde estiveram patentes trabalhos muito criativos. Os visitantes puderam passear por este e outros locais disfrutando da animação proporcionada pelos jovens presentes, das oficinas do Espaço Adolescente, do convívio no bar, da visita à exposição fotográfica sobre "Cinco Anos da Festa da Família" e "Bento XVI, Sucessor de Pedro" de uma ida até à tenda de "Gastronomia Bíblica" ou do acompanhamento das crianças no seu espaço próprio de brincadeira e aprendizagem.

Para terminar o dia, seguiu-se um encontro e diálogo ecuménico com representantes de diferentes Igrejas Cristãs: Ortodoxa, Lusitana, Católica, Metodista e Presbiterana. Foi dada resposta a algumas questões que alunos das escolas fizeram chegar até ali e foi realçado que a história dos cristãos é bonita, mas marcada por muitas roturas. Hoje há que entender o ecumenismo no qual todos somos chamados a dar e a receber, percebendo Cristo sob várias perspectivas.

Seguiu-se uma celebração ecuménica pela Paz, que contou com a presença de muitos jovens qua à luz de velas e ao som de cânticos de Taizé nos fizeram reflectir no quanto é importante que a nossa vida seja o reflexo do amor de Deus.

No segundo dia, a manhã ficou marcada pelas actividades dos mais novos com jogos no recinto ou nos espaços Criança e Adolescente. Antes do almoço houve ainda espaço para o lançamento da colecção "Perguntas à procura de resposta" da Paulus Editora, com atribuição de prémios a alunos que participaram com os seus desenhos. Enquanto as autoras contavam algumas histórias, no Espaço Jovem dialogava-se à volta do tema "Somos de cada povo um pouco e a terra o nosso lugar". Ana Sofia, fsp, Paulinas, conseguiu cativar os presentes com a sua apresentação associando a comunidade a um bolo no qual todos os ingredientes fazem falta, cada um em proporções e momentos diferentes. Mesmo depois do bolo pronto, os ingredientes não se vêem, mas estão lá. Todos temos de aprender que a união é a imagem do dom de cada um e só superando limites e fronteiras conseguiremos a união pela oração, perdão e fé.

A tarde foi animada pela actuação do Rancho Folclórico "Os Camponeses" de Riachos e para adolescentes e educadores decorreu no Espaço Adolescente um diálogo com o Dr. Moita Flores sobre "Bullying" - você sabe o que é bullying? efeitos e consequências - "história verídica de uma vítima de bullying". Houve ainda tempo, na tenda principal, para a conferência "Juntos na Diversidade" a cargo do casal Ana Maria e Guilherme Abreu, enquanto testemunhos de vida muito marcantes sensibilizavam os que estavam presentes no Espaço Jovem, antecedendo a conferência "Vocações diferentes, uma opção radical" orientada pelo Secretariado da Diocese de Santarém.

Pelas 19h00, iniciou-se uma pequena procissão, com a imagem de Nª Senhora de Fátima, que partiu da capela erigida neste ambiente campestre com grande simplicidade e beleza, convidando à oração e reflexão. Após a procissão seguiu-se a Missa presidida pelo Padre Tony Neves do movimento "Jovens sem Fronteiras" que dinamizou algumas actividades ao longo destes dias.

O Multifestival iniciou-se por volta das 22h00 em que a diversidade ficou marcada pelas diferentes actuações. Desde o momento inicial, mais introspectivo, "Rezar com o corpo" com Paulo Duarte, SJ, passando pela alegria dos sons brasileiros e jovialidade do Movimento Jovem de Santa Maria de Itabira ou a música cristã "Pop-Rock" da banda "Anima Christi" até chegar ao envolvimento total do público com a extarordinária apresentação do Coro Gospel St Dominic's, todos contribuiram de alguma forma para o enriquecimento cultural desta noite.

No domingo, dia 25 de Abril, pelas 10h00m teve lugar a Missa, única na cidade, dado que a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima também se associa a esta Festa da Família. A Celebração, como já vem sendo habitual, foi presidida por D. Manuel Pelino, Bispo de Santarém e contou com a presença dos representantes dos órgãos do poder local e do comando do Regimento de Manutenção que amavelmente puseram, mais uma vez, à disposição estas instalações, possibilitando assim a todos a realização deste projecto. As vozes dos Grupo de Jovens "Pedras Vivas" a que se juntaram as do Coro da Igreja de Rito Bizantino da Ucrânia animaram a liturgia , na qual se procedeu à tradicional bênção dos casais com 1, 25 e 50 anos de matrimónio.

D. Manuel Pelino manifestou como sempre o seu entusiasmo pela realização deste evento e ao celebrar-se neste dia o " Bom Pastor", referiu-se a esta imagem como sendo de grande riqueza cultural pela promessa de Deus em enviar um Pastor que congregasse todos os povos e nações. D. Manuel alegrou-se pelo sentimento de união de toda aquela imensa Família ali presente e desejou que as famílias sejam comunidades de Vida e Amor, onde haja diálogo e o Bom Pastor as ilumine protegendo-as na Alegria.

O Pároco Pe Vicente empreendedor deste projecto, agradeceu a colaboração dada por todos e informou que próximo ano, esta Festa não será realizada na data habitual por a mesma coincidir com a Páscoa e irá, talvez, ter continuidade no Distrito de Lisboa, voltando daqui a dois anos.

Ainda antes do almoço, realizaram-se as Conferência:s "Horizontes da família"  -com o Dr. Manuel Correia, Confederação Nacional das Associações de Família e "Diversidade global - missão universal"  - Jovens sem Fronteiras com o Pe. Tony Neves a que se seguiu a actuação do Coro da Igreja de Rito Bizantino da Ucrânia e o Grupo de danças tradicionais das Filipinas.

"EnCantos da Minha Terra" é o nome do espectáculo musical que o padre Ricardo Mónica apresentou às 15h30, no palco da Festa da Família. O musical em cena retratou quadros da devoção popular identificativos de uma cultura religiosa muito peculiar. Para os mais velhos foi um reviver o passado, para os novos a descoberta encantadora das nossas raízes.
A Festa terminou assim com entusiasmo e vontade de contribuirmos para um Mundo mais Unido e mais rico na sua Diversidade começando a aceitação da diferença em cada um nós:
"Tenta ser a mudança que queres ver acontecer no mundo"(Gandhi)





 
Copyright © Festa da Família